Páginas

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Menino da praia




Menino da praia

Mais um menino, mas não mais apenas um menino.
Aylan não deixa de luto só o seu pai, deixa o mundo num pesar sem fim.
Imagem chocante, imagem forte... dor sem limites!
Sentimentos que se confundem frente ao ódio e a falta de esperança.
Um menino de três anos. Um menino sírio.
Mundo cruel. Humanidade sem limites.
De novo, o mar abriga a morte, abriga um corpo inerte
O corpo de um menino que ainda vive
Um menino que será eterno, símbolo da uma paz necessária.
Menino da praia, nunca esqueceremos de você!
Dê à humanidade a chance conseguir o perdão das almas puras
Ainda sei que a temos esperança... ajude-nos a buscar a paz!
Paz que sempre foi frágil, frágil como um menino,
Rasa como a beira do mar.
Ajude-nos, Menino da praia, a conseguir o perdão dos inocentes.
Imagine que todo sofrimento que você passou foi um sonho.

Agora, mais do que nunca, precisamos da sua luz. 

Nenhum comentário: