Páginas

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Dedos

Mais de que dedos longos,
Eram longos dedos que me cobriam de arrepio.
A flor da pela, pela pele, como a pele...
Nossos pelos, seus dedos... Mais que cedo.
E tudo agora é vermelho,
E aflora cada vez mais o fim do desejo
Consumido mais que inteiro.
E na mente agora só a lembrança...
Pois no corpo é passageiro.

Um comentário: